Unidade Três Figueiras: (51) 3907-9865 | 3907-9859
Unidade Menino Deus: (51) 3557-9333 | (51) 3557-9444
Unidade Moinhos de Vento: (51) 3377-7374 | (51) 3377-7375

Erros que danificam os cabelos

Sabendo que muitas pessoas cometem erros na hora de cuidar da cabeleira a youtuber Julia Doorman ensina o que não deve ser feito.

Remova as impurezas!
Quando se trata do couro cabeludo, os cuidados precisam ser ainda maiores. Afinal, não é apenas queratina, mas parte da pele, em que qualquer erro grave pode gerar queda dos fios e até mesmo danos permanentes. “O couro cabeludo pode acumular resíduos, por isso muitas pessoas erram ao não usar, pelo menos uma vez por mês, um shampoo anti-resíduo, pois ele remove as impurezas e até o excesso de oleosidade”, detalha. É importante realizar processo a cada 30 ou 40 dias, para remover o excesso de pele, gorduras, sujeiras e até mesmo produtos capilares que vão se acumulando no couro cabeludo. “Tudo isso obstrui os poros e atrapalha o processo de crescimento dos fios, podendo até levar à queda”, explica.

O uso de hidratação para os cabelos é fonte de dois tipos de erros extremos. Enquanto algumas pessoas não se preocupam com a hidratação constante dos cabelos, outras exageram nos cremes mais fortes. “É um erro não fazer hidratação ao menos toda semana, mas também é importante deixar o cabelo descansar após uma hidratação potente, para evitar que os fios fiquem pesados. É importante intercalar e dosar os processos de recuperação”, destaca a youtuber.

Proteja da química!
Alguns erros comuns nos cabelos podem ser feitos por cabeleireiros. É importante procurar pessoas qualificadas. Utilizar mais de uma química nos fios pode deixar o cabelo muito ressecado. Segundo a jovem, o ideal é esperar pelo menos 15 dias depois das luzes para iniciar um segundo processo, além de não utilizar chapinha todos os dias, para evitar que fiquem quebradiços, e preparar os fios antes de secá-los.

A quem gosta de tratar das madeixas o conselhos da youtuber, é fugir do principal erro que muitas mulheres cometem com os cabelos, que é esquecer-se dos cuidados constantes, mesmo que realizados em casa.

Depilação masculina

Já se foi a época que a depilação era uma técnica aplicada exclusivamente as mulheres. Entretanto pode ser que você ainda não aderiu e que seu pelos estejam intocáveis. Mas se estás lendo este artigo é que possivelmente o interesse por eliminá-los é crescente. Sendo assim listamos para você as principais técnicas de depilação corporal para homens. Vamos ver?

Depilação com lâminas descartáveis
Quando se trata de remoção de pelos do corpo, pode ter certeza que raspar o corpo com lâminas descartáveis é o método mais fácil disponível. Mas lógico que é necessário um pouco de técnica para que tudo o processo tenha um bom desempenho. É importante tomar banho com água morna antes de remover os pelos em qualquer parte do corpo. Isso ajudará a abrir os poros. Também é indicado depilar-se utilizando a lâmina na direção do crescimento do cabelo.
Desvantagens: Neste método podem ocorrer cortes na pele, sempre restará um curtíssimo fragmento de cabelo que se estende acima da superfície da pele, e o uso deve ser repetido com freqüência muita alta.

Depilação masculina com ceras
Depilação com cera é um dos métodos mais eficazes para remover os pelos pela raiz. A técnica envolve espalhar cera quente sobre a área desejada, e após a solidificação os pelos aderentes a cera são abruptamente arrancados com um só golpe.
Desvantagem: Não é para qualquer um. Dói muito!

Cremes depiladores
A utilização de cremes de depilação se apresenta como uma forma indolor de remover o excesso de pelos. Ele funciona mediante a aplicação do produto na área desejada durante pelo menos 10-15 minutos, com isso os elementos químicos presente no creme se dissolvem a estrutura da proteína de um fio de cabelo tornando assim mais fácil para arrancar.
Desvantagens: Nem sempre funciona bem com pelos escuros e espessos. Podem provocar irritação ou dermatite em certos indivíduos sensíveis.

Depilação a luz pulsada
Este processo consiste em emitir luz pulsada através de um aparelho direcionando-a para o ponto a ser tratado. Quando a luz penetra na pele ela é atraída pelo pigmento e libera calor. Este aquecimento localizado destrói o pelo. Para que os resultados sejam satisfatórios, as peles brancas com pelos escuros e grossos são requisitos. Infelizmente pelos loiros e os ruivos, ambos finos ou grossos, bem como as peles negras com pelos escuros e grossos, não atingem resultados satisfatórios com este método.

Depilação por eletrólise
Usando uma agulha de ultra-fina para penetrar cada folículo piloso, este sistema oferece pequenos choques de eletricidade matando as células que ajudam a crescer o cabelo. Este sistema oferece resultados permanentes, mas não há nenhuma garantia e a eficácia varia de pessoa para pessoa.
Desvantagens: É um procedimento caro. Também é demorado. São necessárias várias seções e pode levar até um ano para eliminar os pelos do corpo completamente.

Depilação a laser
Este tipo de depilação consiste na absorvição do laser pelo pigmento no cabelo gerando calor que pode destruir tanto o cabelo quanto os tecidos adjacentes. Quando feita de forma apropriada apenas os tecidos foliculares são danificados, resultando em ausência de pelos por um período prolongado de tempo. Os resultados dependem de sua pigmentação da pele e da cor de seu cabelo, por isso, primeiro você precisa para descobrir se você é um bom candidato para o procedimento. A resposta é melhor nas pessoas ou regiões corporais de pele clara e pelos mais escuros.
Desvantagens: Não é um proeimento barato. O processo pode ter que ser repetido diversas vezes antes de haver qualquer resultado duradouro

Depiladores e aparadores elétricos
Depiladores e aparadores elétricos dispõem de um sistema eletromecânico que extrai pela raiz vários cabelos simultaneamente utilizando-se discos giratórios. São seguros, não resultam em irritação na pele, ao contrário de lâminas de barbear, e permite-lhe controlar o comprimento do cabelo para ser aparada.
Desvantagens: Pode resultar em dor durante o uso de depiladores. Mas isso varia de pessoa para pessoa.

fonte: site Depilador

O que pode e o que não pode no pós-parto: ginecologista tira dúvidas sobre os cuidados na quarentena

Logo depois de dar à luz, é mais do que normal que a mulher queira, o quanto antes, retomar suas atividades. Mas nunca é demais lembrar que, mesmo que tudo tenha transcorrido normalmente no parto, é preciso redobrar os cuidados no período após a chegada do bebê.

Batizado de puerpério, o pós-parto costuma durar de 6 a 8 e só chega ao fim quando a mulher volta a menstruar. Principalmente para as mamães de primeira viagem, é mais do que normal que a fase, também conhecida como resguardo ou quarentena, seja cercada de dúvidas e medos que vem lá do tempo da vovó. Para ajudar a esclarecer o que é mito ou verdade, convidamos o ginecologista e obstetra Maurício Sobral, para responder as questões mais comuns. Vem ver:

A mulher não pode lavar a cabeça durante o resguardo?
Mito! Antigamente se acreditava em uma crença de que o sangramento poderia reverter da vagina para a cabeça, deixando a mulher louca, o que não passa de um mito popular. No resguardo não há problema nenhum em manter a higiene em dia lavando os cabelos.

Amamentar pode deixar as mamas caídas?
Mito! O que contribui ou não para isso é a predisposição genética da mama.

Durante a quarentena posso engravidar?
Verdade! Apesar da possibilidade de gravidez nesse período ser pequena por causa da amamentação e também porque a fertilidade retoma normalmente 45 dias após o parto, ela não é impossível. Por isso, o indicado nesta fase é a utilização de um método contraceptivo eficaz de uso permitido durante a lactação.

Deve-se evitar ter relações sexuais durante este período?
Verdade! No caso do parto normal a penetração pode doer, machucar e até causar uma infecção. Já na cesária, além do risco de infecção, pode haver ferimentos na incisão abdominal que está sensível e em processo de cicatrização. Por isso, o mais indicado é aguardar o prazo de 40 dias. Mas nunca é demais lembrar que o sexo pode ser muito mais do que a penetração, não é? Use a imaginação!

É normal sofrer de prisão de ventre no pós-parto?
Verdade! Mas é possível evitar o problema adotando alimentação rica em fibras com mamão, laranja, aveia, alimentos integrais e muito líquido.

No resguardo não se pode praticar atividade física?
Mito! A prática de exercícios leves como caminhada, yoga e atividades de alongamento estão liberadas após 15 dias para os partos normais e 30 para as cesárias.

Após o parto é normal não sentir desejo sexual?
Verdade! Após a retirada da placenta há uma queda dos hormônios que reduzem a libido e afetam a lubrificação vaginal. Além disso, a nova rotina pode fazer com que a mulher deixe o sexo em último plano. Porém, com o tempo, tudo tende a melhorar.

Amamentar ajuda a emagrecer?
Verdade! Isso acontece porque o metabolismo da mãe fica mais acelerado para a produção de leite. Para produzir a substância, as mulheres gastam 400 calorias por dia, o equivalente a 30 minutos de corrida.

Fonte: revista Donna

Conheça nove benefícios do Pilates

Motivos para escolher o Pilates não faltam: a atividade melhora o desempenho em corridas, combate dores e auxilia na prevenção de fraturas osteoporóticas. Segundo a professora de pilates Cristina Abrami, fundadora e vice-presidente da Aliança Brasileira de Pilates (Abrapi), o método tem como princípios a respiração completa, o acionamento do centro de força (músculos abdominais), a precisão, o controle, a fluidez e a concentração.

Ameniza dores
O Pilates é muito recomendado para pessoas com dores, principalmente nas costas. Os exercícios promovem o realinhamento da coluna e o fortalecimento da musculatura abdominal, fazendo com que naturalmente deixemos de forçar as costas ao realizarmos esforços físicos, esclarece a fisioterapeuta Maitê Molica Ferrari. Além disso, os exercícios de fortalecimento e alongamento direcionados para partes específicas do corpo também contribuem para a reabilitação de diversas patologias. O método só não é indicado para pacientes com problemas em estágio avançado.

Melhora a respiração
O indivíduo que tem estresse ou ansiedade constante interrompe a respiração normal, gerando um bloqueio no músculo do diafragma”, explica a fisioterapeuta. Como o Pilates trabalha a musculatura respiratória, ele é capaz de ensinar novamente essas pessoas a respirar, o que é feito pela associação dos exercícios a um tempo preciso de inspiração e expiração.

Corrige a postura
Por meio de exercícios de alongamento axial, isto é, com a coluna alinhada e alongada durante toda a sessão, adquire-se maior força nos músculos que sustentam a lombar. Isso se reflete naturalmente nas atividades do dia a dia.

Melhora o desempenho na corrida
Pode até não parecer, mas a corrida é uma atividade que exige técnica. Realizá-la sem estar preparado ou de maneira incorreta pode causar diversas lesões no praticante, e é nesse ponto que o Pilates pode ser de grande ajuda. Por meio da reeducação da respiração e da concentração adquiridas no método, correr pode se tornar uma atividade mais prazerosa e com resultados mais rápidos. Além disso, a consciência corporal desenvolvida no Pilates auxilia o equilíbrio do corredor e o alinhamento do corpo.

Trabalha os músculos
Durante os exercícios, ocorre a ativação simultânea de diversos grupos musculares e há uma integração dos músculos principais, secundários e posturais. Além disso, as articulações também são estimuladas.

Melhora a flexibilidade
Trabalhando a extensão de músculos e articulações, percebemos mudanças positivas em atividades como amarrar os sapatos e vestir as calças, por exemplo, conta a fisioterapeuta.

Estimula a coordenação motora
“O conhecimento do nosso próprio corpo, ou a chamada consciência corporal, é um aprendizado sobre como devemos nos movimentar e usar músculos e articulações a nosso favor”, explica a professora Cristina. Por meio do Pilates, é possível adquirir equilíbrio e melhor percepção espacial dos objetos em relação a si mesmo.

Previne fraturas osteoporóticas
O Pilates pode ser um grande aliado na prevenção de fraturas ocasionadas pela perda de massa óssea, característica da osteoporose. Primeiro porque o método aumenta a força muscular, ajudando a modelar a estrutura óssea. Segundo, pelo fato de melhorar a coordenação motora, auxiliando o corpo a ter equilíbrio. Por fim, estimula o alongamento, tornando o praticante mais ágil e atento à postura

Conheça os melhores exercícios para praticar na gravidez

Gravidez não é motivo para deixar o sedentarismo se instalar. Pelo contrário, a prática de exercícios físicos pode trazer muitos benefícios à gestante. Mexer o corpo melhora o preparo físico cardiopulmonar, diminui as dores e incômodos comuns à gestação, melhora o equilíbrio e até mesmo prepara a gestante para o parto e o pós-parto. Mas antes é necessário consultar o ginecologista para que ele diga se a atividade física está liberada, já que algumas condições como pressão alta e placenta baixa restringem a prática de exercícios. A seguir, conheça os melhores exercícios para as futuras mamães.

Caminhada
Esse é o ótimo começo para as futuras mamães. Segundo os especialistas, a caminhada melhora o condicionamento cardiovascular, aumenta o fluxo sanguíneo para os músculos e diminui o estresse. A frequência e a duração da atividade vão depender da condição de cada gestante. Os benefícios já podem ser observados na caminhada feita três vezes por semana durante 40 minutos.

Corridas leves
Mulheres que já praticavam corrida antes da gestação podem continuar com o hábito durante os primeiro meses de gravidez, desde que corrida seja bem leve e respeite a frequência cardíaca adequada. Porém, por ser uma atividade de impacto com maior risco de quedas, a prática é recomendada apenas para o primeiro trimestre de gestação.

Pilates
Apesar de ser uma das atividades mais indicada para as gestantes, a futura mamãe deve respeitar seus limites na aula de pilates. Existem diversos exercícios que são contraindicados para gestantes por conta da posição e do esforço que exigem. O correto, portanto, é buscar um fisioterapeuta que seja especializado na modalidade para gestantes. Um dos maiores benefícios do pilates é que ele trabalha o músculo do assoalho pélvico e a respiração, fatores essenciais para que o parto seja mais tranquilo. O exercício vai inclusive ajudar na redução da diástase abdominal, que acontece quando os músculos abdominais se separam por estarem sustentando muito peso ou por terem se esticado muito – uma complicação comum na gravidez e no pós parto. A recomendação para a gestante é praticar pilates de duas a três vezes por semana durante uma hora.

Natação
Nadar também está entre as melhores opções para as gestantes que querem se exercitar, pois o impacto e o risco de lesões são menores na água. Por ser uma atividade que exige certo preparo físico, a preferência é para as mulheres que já faziam algum tipo de atividade física antes de engravidar. A frequência deve ser de duas a três vezes por semana durante 30 minutos.

Hidroginástica
A hidroginástica também está entre as melhores atividades para as gestantes. Os exercícios da modalidade relaxam e diminuem o estresse, o risco de quedas é mínimo e a chance de sofrer algum tipo de lesão muscular ou articular é muito baixa. A temperatura da água não pode estar acima de 31°C, porque pode levar a vasodilatação e aumento da pressão sanguínea, favorecer desmaios e provocar o aumento excessivo da temperatura do bebê. Além disso, o pH da água tem que estar entre 7,2 e 7,6 – se estiver fora desses valores perde a eficácia na eliminação de bactérias, favorecendo irritações nos olhos e aumentando o risco de infecção urinária. Para se certificar que o pH está correto, é importante se informar sobre o tratamento da piscina na qual faz as aulas. Gestantes podem fazer hidroginástica de duas a três vezes na semana durante uma hora por dia.

Bicicleta normal ou ergométrica?
A melhor forma de pedalar quando se está grávida é na bicicleta ergométrica. O ideal é fazer os exercícios numa bicicleta com encosto para não sobrecarregar a lombar e manter o tronco na posição ereta – ao segurar no guidão a coluna fica arqueada, favorecendo dores e lesões musculares. Além disso, pedalando na ergométrica o quadril oscila menos do que em uma bicicleta normal, o risco de quedas também é menor.
A frequência deve ser de duas a três vezes por semana, durante 40 minutos.

Yoga
Segundo os especialistas, as posturas da yoga alongam e tonificam os músculos, relaxam as articulações e aumentam a flexibilidade corporal, ajudando a gestante a se adaptar às transformações físicas da gravidez. O alongamento que a yoga proporciona é um dos benefícios mais importantes para a gestante, já que seu centro de equilíbrio muda e ela passará a forçar músculos que antes não usava tanto, diminuindo as dores na coluna. Os exercícios de respiração da yoga aumentam a circulação da gestante – fazendo com que o organismo funcione melhor para mãe e para o bebê. A prática deve ser feita no mínimo duas vezes por semana. Os exercícios básicos poderão ser executados diariamente por 10 a 15 minutos e podem ser feitos à noite, ajudando a gestante a ter um sono mais tranquilo.

Musculação com restrições
A prática não é uma das mais recomendadas para gestantes, pois a modalidade prioriza o fortalecimento dos músculos externos quando a grávida deveria se preocupar com os músculos internos, pois são eles que garantem mais estabilidade. Mas se a mulher já fazia musculação antes da gravidez e quiser continuar com o exercício, não há problemas, desde que sejam seguidas as recomendações médicas.