Unidade Três Figueiras: (51) 3907-9865 | 3907-9859
Unidade Menino Deus: (51) 3557-9333 | (51) 3557-9444
Unidade Moinhos de Vento: (51) 3377-7374 | (51) 3377-7375

Como preparar a pele para a depilação

Em qualquer época do ano, os cuidados com a pele devem ter seu lugar reservado na rotina de higiene e beleza. E manter a pele macia, com toque suave, livre de pelos, manchas ou sinais de irritação é a vontade das mulheres ao se submeterem à depilação, independentemente do método a ser utilizado.  Confira as dicas da dermatologista Dra. Silvia Schmidt (diretora da SBCD-Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica).

– Na semana antes da depilação, deve-se aplicar diariamente, durante o banho, um esfoliante suave, para desencravar os pelos e facilitar a sua retirada.

– Para quem vai se depilar com cera, vale tomar um banho morno para abrir os poros uns 30 minutos antes da depilação. É importante que a pele esteja totalmente limpa antes de extrair os pelos, sem cremes, pomadas ou óleos.

– No caso da depilação a laser, a pele não deve estar bronzeada. No dia da depilação, é interessante usar roupas mais larguinhas e, de preferência, de algodão. Tecidos sintéticos, como jeans e lycra contribuem para o aparecimento de pelos encravados, também conhecidos como foliculite.

– Em relação à esfoliação, muitas mulheres ainda têm dúvidas se este procedimento é bom ou ruim. A especialista explica que a pele do corpo deve ser esfoliada periodicamente, para ajudar na renovação celular, deixando-a macia. “Quem tem tendência a pelos encravados deve começar a esfoliar a pele em dias alternados, assim que eles começam a nascer para que ocorra a desobstrução do poro e evite que o pelo inflame. Todo esse processo deve ser feito suavemente. A esfoliação em excesso pode ressecar e ferir a pele”.

– A hidratação é outro agente influenciador na saúde cutânea. “A pele bem hidratada é uma pele mais saudável para enfrentar a agressão da depilação com cera, desde que o creme não seja usado no dia da depilação, o que dificulta a extração dos pelos. Após o procedimento, os cremes hidratantes devem ser evitados. O ideal é usar gel ou loções
oil-free, que acalmam a irritação, tonificam e ajudam a cicatrizar e regenerar a pele
”.

Para quem deseja ter uma depilação perfeita e manter a pele saudável, a dermatologista elencou sete dicas. Confira abaixo:

  1. Esfoliar suavemente a pele periodicamente para evitar os pelos encravados. Os movimentos devem ser circulares;
  2. Usar produtos específicos prescritos pelo dermatologista para quem tem tendência a foliculite;
  3. Não cutucar os pelos encravados, pois pode inflamar o local;
  4. Não usar óleos e cremes hidratantes no dia da depilação;
  5. Para quem depila o rosto, existem produtos que podem ser indicados para que a depilação dure mais;
  6. Não fazer depilação a laser com a pele bronzeada;
  7. Evitar o sol no dia da depilação e usar filtro solar 30 nos primeiros dias.

Aprenda a usar a noite para revigorar a pele e deixá-la mais saudável

Durante o dia, a pele sofre um desgaste natural ocasionado por fatores como exposição ao sol / luz, poluição, mudança de temperatura e até mesmo a maquiagem, no caso das mulheres. Com isso, a tendência é que a pele fique com uma aparência envelhecida, desidratada e sem brilho. À noite, no entanto, devido ao aumento da circulação e da oxigenação das células cutâneas, é o momento perfeito para reverter os possíveis prejuízos que o meio externo possa ter causado. Portanto, é muito importante ter alguns cuidados específicos antes de dormir para acordar com a pele mais saudável.

Veja cinco passos para fazer antes de dormir e acordar com a pele pronta para encarar o dia-dia.
1. Lave bem o rosto
2. Remova a maquiagem
3. Aplique loção tônica
4. Hidrate

Corte Infantil, tire suas dúvidas

O primeiro corte de cabelo dos nossos bebês é sempre um momento de emoção para toda a família. Mas sempre surgem algumas dúvidas.
Conversamos com a cabeleireira do Fábula, Debora Hullen e ela nos deu dicas importantes.

QUANDO DEVO CORTAR PELA PRIMERIA VEZ O CABELO DO MEU FILHO?
Não existe tempo certo para o primeiro corte, os primeiros fios crescem irregulares, por isso devemos tirar as pontinhas desde cedo para melhor desenvolvimento dos fios.

OS FIOS FICAM MAIS GROSSOS SE EU RASPAR O CABELO DELE?
Não! O que acontece é que as pontas dos fios com o tempo vão ficando mais finas, e quando raspamos, tiramos essas pontas, por isso temos a falsa impressão que os fios engrossaram, mas eles continuam exatamente com a mesma espessura.

OS FIOS FICAM MAIS LONGOS APÓS O CORTE?
Uma vez que o primeiro corte é feito, o fio é renovado, e nos primeiros anos do bebê, devemos fazer essa renovação, que chamamos de limpeza de fios uma vez por mês até o cabelo tomar forma para o corte desejado. Lembrando que, muitas vezes, acabamos adiando os frequentes cortes de cabelo dos nossos pequenos por algum tipo de resistência das crianças, o que é normal por ser algo novo pra eles. Por isso devemos levar desde cedo no lugar certo com os profissionais qualificados. Com muita paciência e carinho acabamos conquistando a confiança dos pequenos!

O CABELO DOS BEBÊS MUDAM DE TEXTURA E COR?
Os cabelos dos bebês podem mudar sim, mas é super normal isso acontecer até um aninho de idade, mas não é regra, algumas crianças não passam por grandes mudanças, é uma questão de genética mesmo!

 

Você sabe o que é diástase?

Quando você apalpa a parede externa do seu abdôme sente como se um pequeno buraco separasse os dois lados da musculatura da sua barriga? Então está na hora de procurar um médico. O que você tem é chamado diástase, uma separação entre certos músculos abdominais que, se não for tratada, pode provocar dores nas costas e nas pernas. Esse problema acomete cerca de 30% das mulheres no pós-parto. A ginecologista e obstetra Cristina Noronha explica o que exatamente é essa doença, quais suas causas e seus tratamentos.

O que é a diástase? Quais são as causas da doença?
Diástase é o afastamento dos músculos retos do abdome. Estes músculos são aqueles que fazem os “gominhos” do abdome “malhado”, são em número de dois e paralelos, laterais um ao outro. Quando há um aumento da pressão intra abdominal com o afastamento destes músculos (gestações múltiplas, obesidade, desnutrição, etc) ocorre a diástase.

Existe algum fator de risco?
Mulheres que não fazem exercícios físicos e, assim, não têm o abdômen trabalhado, desenvolvem mais chances de apresentar o problema. Contribuem também hormônios que, na gestação, provocam relaxamento muscular. Os fatores que predispõem uma mulher grávida para uma diástase do reto abdominal são usualmente: gestações múltiplas, obesidade, um bebé grande e excesso de líquido amniótico. Os sintomas mais comuns são dores na zona lombar, nádegas, coxas e uma protuberância no meio do abdómen quando se senta ou está de pé.
Como é feito o diagnóstico?
O diagnóstico é feito com o exame físico. Você pede para a paciente deitada se levantar sem o auxílio das mãos (como se fosse fazer abdominal) e percebe-se uma elevação na região central do abdome. Para saber a extensão do problema e ter mais clareza no diagnóstico deve-se fazer um ultrassom e buscar a avaliação de um fisioterapeuta. Se o afastamento for menor que quatro centímetros, exercícios físicos para a região abdominal podem reverter a situação em até três meses. Se for maior, é necessária uma cirurgia para unir os lados.

Existe algo que a mulher possa fazer sozinha para identificar o problema?
Na maioria das vezes o diagnóstico é feito pela própria paciente, ela só não sabe o nome do problema. Ela se queixa justamente de um abaulamento na região central da barriga ao se levantar, ao tossir ou fazer algum esforço.

O que pode ser feito para evitá-la?
Não dá para prevenir a diástase, mas manter o espaçamento estre as gestações em pelo menos dois anos, fazer exercícios físicos que fortaleçam a região, como pilates, acompanhados de um profissional e manter uma boa alimentação pode reduzir as chances.

Existe cura ou tratamento para a doença? Em que consiste o tratamento?
Sim. A depender do tamanho do afastamento, o tratamento mais indicado é o exercício físico, que deve ser acompanhado por um fisioterapeuta. Mas o tratamento definitivo é cirúrgico. A cirurgia consiste num corte transversal no abdome inferior (como se fosse uma cesareana) com descolamneto do tecido até o nível do umbigo ou acima se for necessário. Faz-se uma aproximação dos músculos sendo eles fixados pela aponeurose (uma pele grossa que recobre a musculatura abdominal como se fosse uma cinta). Esta cirurgia também é estética pois diminui o volume do abdome e define a cintura da paciente. O tempo de recuperação após o parto é diferente para cada mulher. Isso pode depender do corpo que você tinha antes de engravidar e pode levar apenas alguns meses ou até mais de um ano para que a recuperação completa ocorra.

abdominoplastia2fonte: canal feminino

 

Criolipólise: tratamento estético elimina gordura localizada

O que é a Criolipolise?
Desenvolvida por pesquisadores da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, a criolipólise usa baixas temperaturas para acabar com a gordura localizada. O aparelho é colocado na superfície da pele, fazendo as células de gordura serem congeladas a temperaturas negativas para serem destruídas. O dermatologista Cláudio Mutti, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, explica que, em contato com a baixa temperatura, as células de gordura – chamadas de adipócitos – se rompem totalmente. Em consequência, o corpo entende que elas não fazem mais parte do organismo e as expele naturalmente. O tratamento vem fazendo tanto sucesso que está chamado de “a nova lipoaspiração”, com a diferença de que diferentemente desse método, a criolipólise não é um procedimento cirúrgico.

Como é feita a criolipólise
A criolipólise é feita com a ajuda de um aparelho específico cujos aplicadores acoplam-se perfeitamente às diferentes áreas do corpo. O endocrinologista Danilo Hofling, da Sociedade Brasileira de Medicina Estética, conta que a ponteira do aparelho realiza um poderoso vácuo que promove a sucção da pele e da porção de gordura localizada. Ao mesmo tempo, o resfriamento intenso e controlado da gordura destrói as células de gordura. O resfriamento controlado age danificando seletivamente as células adiposas, que são mais sensíveis ao frio, sem causar qualquer dano a nervos, músculos e outras estruturas próxima. “Na prática o que acontece é a morte da célula de gordura”, explica. O aparelho da criolipólise é adaptado para cada área do corpo. “Para a região da barriga existe uma ponteira grande, já para as costas e pneuzinhos laterais utiliza-se a ponteira menor”, explica a dermatologista Mariana Barbato, da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

A eliminação das estruturas dos adipócitos destruídas com a baixa temperatura é feita pelo sistema imune e a gordura no interior das células é conduzida ao fígado pelo sistema linfático para sua metabolização. Uma vez que o sistema linfático leva apenas uma pequena quantidade diária de gordura para ser metabolizada, não há perigo de sobrecarga do fígado nesse processoA criolipólise não é um tratamento para sobrepeso ou obesidade. Ela é opção para pessoas que tenham gordura localizada em algumas regiões corporais, o famoso pneuzinho. De acordo com o fabricante, o procedimento elimina até mesmo aquela gordura incapaz de ser combatida com dieta e exercícios físicos.

Áreas de aplicação
A criolipólise pode ser feita apenas em algumas partes do corpo, aquelas que se adaptam bem as ponteiras. Não é possível fazer no rosto, por exemplo, porque o aplicador não se encaixa. De acordo com o fabricante do aparelho, há a perspectiva do lançamento de ponteiras que se adaptem a outras partes do corpo.

Quem pode aplicar
As marcas que comercializam o aparelho da criolipólise exigem que um médico seja responsável pelo procedimento, e se outro profissional de saúde o aplicar, o médico deve acompanhar esse procedimento de perto.

Cuidados anteriores à criolipólise
Não é necessária uma preparação específica para a criolipólise. Ela pode ser feita em qualquer estação do ano, inclusive no verão. Mas se a ideia é que os resultados sejam notados na estação da praia e do sol, o ideal é se programar antes, já que o resultado completo leva de dois a três meses para aparecer.

Dor durante o procedimento
A dermatologista Mariana Barbato explica que pode haver dor no momento da sucção proporcionada pelo aparelho, mas após o congelamento da gordura a região fica anestesiada. “Também pode haver desconforto na hora de retirar o aplicador, mas nada muito intenso”, conta. “Os hematomas não são frequentes, mas quando aparecem são passageiros”.

Duração da sessão de criolipólise
A dermatologista Maria Paula Del Nero, também da Sociedade Brasileira de Dermatologia, explica que o tempo de tratamento de uma área de 20 por 20 centímetros dura aproximadamente uma hora. A boa notícia é que a criolipólise pode ser feita em mais de uma região no mesmo dia sem riscos ao paciente.

Resultados da criolipólise
A dermatologista Mariana Barbato explica que uma ou duas sessões já são suficientes para trazer resultados. Mas há casos em que são necessárias mais sessões. A partir do décimo dia a quebra de gordura já pode ser visível, mas o efeito máximo acontece de dois a três meses após a sessão. “É possível medir a diferença na fita métrica, mas a melhor maneira de fazer a comparação de fotografias de antes e depois, na mesma posição”, explica a especialista. Em uma única sessão, estudos científicos em Harvard apontam redução de 20% a 25% da gordura localizada na região tratada. Mas claro, os resultados variam de pessoa para pessoa.

Celulite e flacidez
Não existe qualquer comprovação científica de que a criolipólise melhore a celulite e a flacidez. “Mas é possível perceber melhora do aspecto da celulite, em função da diminuição da gordura localizada, que é o foco do tratamento”, explica a dermatologista Mariana. Já a flacidez pode até aumentar com o tratamento. Nesse caso, outros tratamentos, como a radiofrequência, podem ser associados para tratar esse aspecto.

Contraindicações
A dermatologista Mariana Barbato explica que nem todo mundo pode fazer a criolipólise, é preciso passar por uma avaliação detalhada antes. A criolipólise é contraindicada para pessoas com sensibilidade ao frio – como quem tem urticária, por exemplo -, com hérnias no local da aplicação, infecções na pele, para gestantes e para quem passou por cirurgia recentemente. Para quem pretende emagrecer, vale lembrar que o método combate a gordura localizada e não o excesso de peso, pois não atinge gordura em todas as áreas do corpo ou mesmo a visceral, gordura que se deposita entre os órgãos.

Reações adversas e complicações
Pode haver dor persistente após uma semana do tratamento. Nesse caso, o paciente deve ser medicado, mas essa consequência é rara. Também pode haver aumento da gordura no local em vez da redução. Esse problema é ainda mais raro, mas já foi relatado.

fonte: Minha Vida